12.2.09

Minhas mãos estão atadas
Inevitavelmente atadas
Os problemas passam a minha frente
Eu não posso fazer nada

Quero fazer as coisas acontecerem
As pendências desaparecerem
Poderia ser diferente
Mas sinto me esquecerem

Os passos dados no escuro
Pressionada num caminho inseguro
Levada pela angústia

Tudo é sujeito a enganos
Não uso nenhum de meus planos
Mas tenho que seguir na busca

2 comentários:

Bibs ° disse...

Nossa, quanto tempo não passo por aqui! Que saudade de ler tuas coisas!
Sempre muito boas como te costume!

Beijo, Mary!

Cleber D. Gräuth disse...

gostei de seu blog