26.4.07

Pede-se não falar com o vigilante

Banco é uma das coisas mais adultas e urbanas que existem. Apesar de também existir em cidades pequenas e ter uma pequena frequência de crianças, geralmente lá a contra gosto. Lembro da primeira vez que fui fazer um depósito, com uns 15 ou 16 anos. Minha mãe ficou meio boba, tipo "minha filha já é gente grande". Desde então, já fui várias vezes fazer depósitos e pagar contas. E então reparo nas pessoas a minha volta, no lado humano daquele lugar feito para e pelo dinheiro. Até já troquei olhares em algo teoricamente frio como fila de banco (pena que ele estava umas 6 pessoas na minha frente na fila... rs)
Esse ano, meio tardiamente, fui abrir minha primeira conta. E, entre caixas, filas, senhas e portas giratórias, dei com uma espécie de tapume no canto, com uma pequena fenda na altura dos olhos e a inscrição "Pede-se não falar com o vigilante". Essa era nova pra mim. Segurança é primordial em um banco. Mas vigilante também é gente, então sorrimos e conversamos enquanto ele nos ajuda a tirar o celular e as chaves e as moedas e o guarda chuva da bolsa para a porta não travar. Não gostei daquele isolamento com uma abertura para enxergar, como se uma pessoa fosse, na verdade, um sensor um uma câmera. Ônibus também pedem para conversar com o motorista somente o necessário, mas ele não fica fechado numa redoma, sorri quando subimos e, já que ele não pode conversar o desnecessário com os passageiros, fica batendo papo com o cobrador (que pode conversar rs). Fiquei pensando naquilo. Talvez o choque de ver um guarda "encarcerado" seja para chamar a atenção, um sorria-você-está-sendo-filmado. Em outras idas no mesmo banco, vi que na verdade os vigilantes não ficam ali o tempo todos e o aviso é tão desrespeitado quanto o dos ônibus. Até entendo tecnicamente a necessidade daquilo, mas que me pareceu estranho, isso não posso negar.

Um comentário:

Bibs disse...

kkkk...
Mary, fica conversando com motorista, cobrador ... é bem legal conversar com o cobrador =P
kkkkkkkk ...

Apesar de serio, tem um pouco de humor? Tem? Bom, eu achei ...

Bjo!